Blogs do Ano - Nomeado Moda

5 documentários de moda a não perder

Quem me acompanha sabe que eu adoro ver séries de televisão. O facto é que desde que a Netflix chegou a Portugal os meus hábitos noturnos mudaram. A fórmula sofá + manta + Netflix é, sem dúvida, uma rotina diária que já não dispenso.

E confesso que mais do que um hábito, este já é um vício. Aliás, já tinha falado aqui das minhas séries favoritas com protagonistas femininas.

Mas o que muitas pessoas acabam por não reparar, é que existem dezenas de documentários bastante interessantes, que aliam a informação ao entretenimento. Além disso, os documentários biográficos são sempre uma boa forma de conhecer o outro lado dos negócios e das personalidades criativas, que estão por detrás das grandes marcas. De ficar a saber mais sobre o seu percurso e carreira. De descobrir o que as motiva e as inspira todos os dias. Mas também de ver o seu lado mais humano, de quem são na realidade as pessoas que apenas conhecemos na sua vertente mais pública.

Já a pensar no fim de semana que se aproxima e numa boa forma de aproveitar os dias frios, de chuva e vento, deixo aqui algumas sugestões de documentários para quem gostava de saber mais sobre estas personalidades ligadas à área da moda: Franca Sozzani, editora da Vogue italiana; Dries van Noten, designer de moda belga; Zac Posen, designer de moda americano; Manolo Blahnik, designer de sapatos espanhol; e Iris Apfel, designer de interiores e ícone de estilo americana aos 96 anos.

5 Documentários de moda que vale a pena ver
Franca: Chaos and Creation
2016, 1h19 min, Netflix

Realizado pelo seu filho Francesco Carrozzini, o documentário “Franca: Chaos and Creation” é dedicado à diretora da Vogue Itália, Franca Sozzani, cuja visão provocadora revolucionou a imagem desta icónica revista em todo o mundo. Irreverente, influente e criativa, esta é uma oportunidade única para conhecer de perto a visão e o percurso de Franca, durante os 28 anos que trabalhou para a publicação italiana, já que viria a falecer em dezembro de 2016. O documentário biográfico, que muitos consideram ser uma carta de amor entre mãe e filho, mostra também o lado mais pessoal e emotivo desta relação. Através de Franca, a edição italiana da Vogue foi pioneira ao publicar editoriais de moda e textos sobre temas controversos relacionados com a idade, raça, beleza ou peso.

Dries
2017, 1h29 min, Netflix

Dries van Noten é um designer de moda belga, reconhecido internacionalmente e vencedor de prémios, como o International Designer of the Year Award (2008) pelo CFDA; o Royal Designer for Industry (RDI) pelo RSA Trustee Board de Londres; o Couture Council Award for Artistry of Fashion atribuído pelo Couture Council of the Museum at FIT em Nova Iorque, entre muitos outros galardões. Oriundo de uma família de alfaiates, Dries estudou Fashion Design na Royal Academy of Fine Arts Antwerp, tendo concluído o curso na década de 80. Junto com outros cinco criadores belgas, apresentou a sua primeira coleção de roupas em Londres, em 1986, lançando depois a sua marca própria. Neste documentário é evidente a sua noção de equilíbrio e busca pela perfeição, a atenção aos detalhes, o modo como combina diferentes cores e materiais, a forma como alia a imaginação à realidade e mistura “o feio com o belo”. Uma excelente oportunidade para conhecer o seu processo criativo, bastidores dos desfiles e o que inspira este mestre da moda, através deste retrato intimista.

House of Z
2016, 1h27 min, Netflix

Quem acompanha os principais eventos internacionais, por certo já reparou nos fabulosos vestidos de Zac Posen, usados por celebridades, como Uma Thurman,  Michelle Obama, Gwyneth Paltrow, Naomi Watts, Claire Danes e Rihanna. Criado em Nova Iorque, Zac decidiu, no entanto, ir para Londres estudar na London’s Central Saint Martins University. Este jovem designer lançou a sua coleção homónima em 2001, que aliava uma visão moderna do glamour americano com as técnicas de alta costura e inovação. Um negócio que nasceu no seio da sua família, com o apoio da sua irmã e mãe, e cuja ascensão foi tão rápida, que rapidamente alcançou fama a nível global. O documentário mostra o seu brilhante percurso, mas também a sua queda e como este criador teve de dar a volta ao seu negócio (e vida) para regressar à exigente e crítica indústria de moda.

Manolo: The boy who made shoes for lizards
2017, 1h28 min, Netflix

Os sapatos estão para Manolo Blahnik, como as pizas estão para os italianos: ou seja, não é possível falar de design de sapatos sem referir o seu nome. E este documentário é absolutamente delicioso, pois dá a conhecer o seu lado mais excêntrico, bem como o processo criativo do rapaz que “apenas fazia sapatos para lagartos” e cujas criações conquistaram fama mundial. Aliás, a recente exposição “Manolo Blahnik: The Art of Shoes”, que vai percorrer alguns dos principais museus internacionais, mostra o seu trabalho ao longo de 45 anos, expondo os seus 200 sapatos favoritos e 80 desenhos originais. Eu rendi-me ao seu universo mágico e vibrante neste documentário, que inclui testemunhos de Paloma Picasso e Anna Wintour.

Iris
2014, 1h19 min, Netflix

As mais distraídas talvez ainda não tenham reparado nos artigos, que já dediquei a esta senhora encantadora: Iris Apfel. Para mim é, sem dúvida, uma fonte de inspiração. Não só pelo seu percurso fascinante, enquanto designer de interiores, tendo viajado por todo o mundo, de modo a trazer para os EUA peças únicas e uma perspetiva diferente, que quebrava com as normas tradicionais. Mas acima de tudo pela sua visão criativa, arrojada e espírito curioso. Aliás, esta jovem de 96 anos, ainda, tem o dom de despertar o interesse e a atenção dos media internacionais, bem como tem um enorme impacto na indústria da moda. E o seu lado mais excêntrico é uma forma de expressão da sua personalidade singular e fascinante. Que é como quem diz “quando for grande também quero ser assim”. A não perder (mesmo)!

Acompanhem-me também no Facebook e Instagram
Rita Carvalho

Comentários sobre o post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.