Imagem Pessoal: útil ou fútil?

Quando criei este blog e comecei a trabalhar na área de consultoria de imagem, em 2013, um dos maiores receios é de que este fosse classificado como fútil ou consumista. Na categoria de quem só se preocupa com o que é supérfluo e acessório.

Infelizmente, ainda vivemos numa sociedade que segue estereótipos do tipo: “as mulheres bonitas são menos inteligentes” ou “as pessoas que se preocupam com a imagem pessoal são fúteis”. Que eu saiba não existe qualquer relação entre a beleza e a inteligência e a maior parte dos presidentes da república têm um assessor que cuida da sua imagem e analisa ao pormenor o que devem usar em cada ocasião, mediante a mensagem que pretendem transmitir.

Não sou uma vítima da moda, tenho roupa que uso há anos, dispenso os saltos altos e não sinto necessidade de comprar artigos, apenas porque são a tendência do momento. Nem gasto metade do meu ordenado em roupa, acessórios e produtos de beleza, por achar que a imagem é o mais importante. Adoro viajar, ler, sou viciada em séries de televisão (confesso que perco algumas horas de sono a fazer maratonas) e uma ávida consumidora de informação na internet.

Talvez por isso tenha estado atenta às dezenas de artigos nos media e nos blogs sobre o estilo das parisienses. Em grande parte, devido à publicação do livro “A Parisiense”, de Ines de La Fressange, a ex-modelo francesa que foi o rosto da Chanel nos anos 80, atual designer e empresária. Mas também por influência da Garance Doré, uma francesa autora do blog Atelier Doré e do livro “Love x Style x Life”, que é uma verdadeira fonte de inspiração. As duas são empreendedoras de sucesso e têm a capacidade de inspirar mulheres em todo o mundo.

Ines de la Fressange e Garance Doré

Na visão de Ines e Garance, a moda faz parte da nossa vida. É algo tão natural como comer ou dormir. E está em permanente evolução, transmite uma mensagem, é o reflexo da nossa personalidade e estado de espírito, bem como da fase da vida em que nos encontramos. Somos inspiradas pelo que nos rodeia, que tanto pode ser uma exposição de arte como os desenhos dos nossos filhos, uma viagem ou uma conversa entre amigos.

Eu também assumo essa quota parte de vaidade, se tal significar que gosto de cuidar de mim. De dedicar tempo ao que mais gosto de fazer, sem esquecer todos os compromissos e obrigações. Mas por mim e não pelos outros ou para os outros. Acho que se confunde vaidade com futilidade e, muitas vezes, esquecemo-nos do quanto a autoestima, a confiança e a motivação é importante para nos sentirmos valorizadas. Para nos aceitarmos tal como somos, quando chegamos à conclusão de que os conceitos de “ideal” e de “perfeição” são uma ilusão, uma imagem mental do que consideramos que é “o melhor”.

Mas, na realidade, nunca estamos satisfeitas com o que temos. E não há qualquer problema com isso, se tal não nos desmoralizar, limitar ou diminuir de alguma forma. Se contribuir para termos uma maior consciência do nosso corpo e da forma como podemos tirar partido dos nossos pontos fortes e aprender a relativizar os aspetos que menos gostamos. Além disso, conhece alguém que não tenha de se vestir, de tomar banho e de lavar o cabelo? Acha mesmo que isso é um luxo?

Todos os dias temos de pensar no que vamos vestir, gastamos dinheiro em roupa e em produtos de higiene pessoal, vamos ao cabeleireiro nem que seja para cortar as pontas e compramos produtos de maquilhagem que nos fazem sentir mais bonitas e atraentes. Em resumo, já que vamos investir tempo e dinheiro não será melhor fazê-lo de forma mais consciente?

10 Motivos para investir na sua imagem pessoal
  1. Sentir-se mais confiante e aumentar a sua autoestima
  2. Aprender a tirar partido do seu corpo, disfarçando os pontos fracos e valorizando os pontos fortes
  3. Identificar as suas necessidades e essenciais de guarda roupa, em função do seu estilo de vida, objetivos e profissão
  4. Perder menos tempo todas as manhãs, ao ter uma guarda roupa mais organizado e eficiente
  5. Fazer as escolhas mais acertadas e poupar dinheiro em compras por impulso
  6. Libertar-se de um armário cheio de roupas, quando apenas usa uma pequena parte
  7. Rentabilizar o seu guarda roupa, aprendendo a fazer novas combinações
  8. Melhorar a sua imagem profissional e saber o que usar em cada ocasião
  9. Voltar a sentir-se sexy e a ter mais vida social
  10. Melhorar a sua vida amorosa e sexual
Por isso, sempre que considerar que é fútil arranjar tempo para cuidar de si lembre-se destes princípios úteis.
Rita Carvalho

Comentários sobre o post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.