Blogs do Ano - Nomeado Moda

Vai aos saldos?

Passou por uma montra com um grande cartaz a assinalar descontos. Esta é uma palavra mágica para a maioria das mulheres. É quase irresistível o apelo para entrar e dar apenas uma “vista de olhos”. Afinal, pode encontrar aquela peça tão cobiçada ou uma verdadeira “pechincha”, que vai ficar adorável com aquelas calças que comprou esta estação ou combinar com aquela camisola que tem estado à espera de encontrar o seu par.

A verdade é que os saldos são uma verdadeira tentação e é muito fácil perder a cabeça. Mas será que vai fazer as escolhas mais acertadas?

Os descontos são uma excelente oportunidade para comprar aquelas peças que lhe fazem falta ou que “anda de olho” há algum tempo. Aproveite a época das promoções para investir no seu guarda roupa, mas evite as compras por impulso. Sobretudo, se a peça não tiver o tamanho certo ou não combinar com nada do que tem no seu roupeiro.

1. Faça uma lista de compras e defina um orçamento
Para evitar fazer compras por impulso ou adquirir artigos que depois se vai arrepender, nada melhor do que fazer uma lista das peças que lhe fazem falta. Analise quais são as suas necessidades, antes de ir às compras, em termos de peças e de cores. Sobretudo, para não chegar a casa e verificar que já tem uma camisola igual ou que já tem cinco calças pretas. Estabeleça também um orçamento máximo e evite ultrapassar este valor.

2. Evite as peças solteiras e desajustadas
Por certo, já comprou uma peça, que depois de chegar a casa verificou que não combina com nada do que tem ou então que não se adequa ao seu estilo de vida. Resultado: o mais provável é que o artigo fique pendurado no cabide ou esquecido numa gaveta, sem nunca o usar. Pode ser um lenço, um colar, uns sapatos ou uma peça de vestuário. Na hora de comprar, responda a estas perguntas: Tenho falta desta peça? Posso conjugar com as outras que já tenho? Adequa-se ao meu estilo de vida e idade? Favorece o meu tipo de corpo? Em que ocasião vou usá-la?

3. Verifique se tem o tamanho certo
Nas promoções é habitual que os tamanhos fiquem muito escolhidos e que tenha a tentação de comprar um número acima ou abaixo, apenas para aproveitar o preço. Nada mais errado, pois a peça vai ficar apertada e sentir-se desconfortável ou então demasiado larga e dar-lhe um ar desleixado. Se não tiver o seu tamanho é preferível não comprar, a não ser que esteja disposto a fazer pequenos acertos com a ajuda de uma costureira ou alfaiate. Outro erro é comprar um tamanho a contar com os quilos que vai perder após uma dieta. Seja realista.

4. Invista em peças básicas e de qualidade
Aproveite para comprar aquelas peças de marca, que estão habitualmente fora do seu orçamento. Os descontos são uma excelente oportunidade para investir nuns sapatos, numa mala ou em básicos de qualidade, que vão perdurar no seu guarda roupa durante muito tempo e dar-lhe um visual mais sofisticado.
Uns sapatos ou uma mala de pele, um fato ou blazer, um casaco de cabedal ou um vestido clássico são boas opções. Invista em materiais de qualidade, com um corte impecável e em modelos clássicos. Não se esqueça que as peças tendência passam de moda e ficam rapidamente desatualizadas.

5. Verifique se a peça não tem defeitos ou manchas
Antes de comprar, certifique-se que a peça não está em mau estado, apresenta defeitos ou manchas. A legislação vigente determina que se o consumidor comprar um bem com defeito, o comerciante está obrigado a reparar, efetuar a troca (substituição) ou a reembolsar o seu valor.
No entanto, durante o período de vendas com redução de preço, os comerciantes podem vender produtos com defeito, desde que estes estejam devidamente identificados, através de rótulos ou de etiquetas que indiquem qual é o defeito. O consumidor deve guardar sempre o recibo da compra para uma eventual reclamação.

6. Informe-se sobre qual é o desconto
Por vezes, as montras anunciam um desconto até uma determinada percentagem, induzindo o consumidor em erro. Verifique na etiqueta qual a redução real do artigo para saber se está a fazer um bom negócio, analisando o preço anterior e o atual.

7. Decida no momento
Se encontrar uma peça, que reúna todos os requisitos enumerados e que seja um bom investimento não vá para casa pensar no assunto. Em época de saldos, as peças desaparecem com facilidade e corre o risco de não a voltar a encontrar.

8. Experimente sempre antes de comprar
O melhor será experimentar a peça e só comprar se esta lhe ficar bem, servir e não tiver defeitos. Muitas vezes, as filas para os provadores são tão grandes, que desmotivam a experimentação dos artigos. Se tiver pouco tempo ou paciência assegure-se que a loja efetua trocas ou reembolsos.

9. Verifique a política de trocas ou reembolsos dos artigos
A troca, substituição ou reembolso só são obrigatórios se o bem tiver defeito. No entanto, algumas lojas facilitam esta tarefa aos consumidores, mesmo não sendo obrigados por lei. Esteja atento ao prazo de validade, às condições de troca ou reembolso e guarde sempre o recibo de compra.

Se pretender ter a ajuda de uma profissional para rentabilizar as suas compras e assegurar-se que toma as melhores decisões, marque uma sessão de personal shopping.

Acompanhem-me também na página de Facebook Instagram

Article Tags : , ,
Rita Carvalho

Comentários sobre o post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.